[Especial] Curso – Fantasia em Imagem

Minhas últimas cinco noites de quarta-feira (e também as da Isa e da Isabela) foram dedicadas a um curso muito legal, ministrado no Museu da Imagem e do Som (MIS), aqui em São Paulo. Fantasia em Imagem foi um curso sobre o gênero fantástico, e como ele é abordado no cinema. Foram aulas muito proveitosas, e eu gostaria de contar um pouco sobre o que aprendemos.

A professora do curso, Cláudia Oliveira, é mestre em Estudos da Ficção Científica pela Universidade de Liverpool. Ela também faz resenhas legais no canal Tô Lendo.

A professora do curso, Cláudia Oliveira, é mestre em Estudos da Ficção Científica pela Universidade de Liverpool. Ela também faz resenhas legais no canal Tô Lendo.

Nas primeiras aulas, estudamos a conceituação de fantasia e de fantástico, falando da origem da palavra fantasia e suas diferentes acepções ao longo do tempo (incluindo as negativas, como sinônimo de “delírio”), assim como da diferenciação de fantasia em fórmula, gênero e modo (respectivamente, do mais limitado ao mais amplo – a fantasia como “modo” é a fantasia inserida em outros gêneros).

Vimos também os diferentes tipos de contos de fadas (e descobrimos, para nossa surpresa, que surgiram na Itália!) e conversamos um pouco sobre a importância deles, em especial da Branca de Neve, que, pasmem, teve mais de 90 adaptações para o cinema! Aliás, uma curiosidade bem intrigante: um estudo revelou que, quanto mais uma história reforça a beleza de suas personagens, mais essa história é repetida e recontada. Interessante, não?

A terceira aula foi sobre Senhor dos Anéis, série que deu origem à fantasia como gênero literário. Falamos bastante da vida de Tolkien e de seu amor pela criação de línguas – e como seu objetivo com Senhor dos Anéis era criar um verdadeiro mito. E aplausos para a professora por fugir do lugar comum ao tratar desse clássico: ela explicou brevemente o conceito da “jornada do herói”, de Joseph Campbell, mas nos mostrou como não é uma fórmula que tem de ser seguida, e como a fantasia é muito mais que isso – especialmente nos últimos anos, em que os personagens e as tramas estão fugindo cada vez mais da típica jornada do herói. Mesmo assim, é legal conhecer a teoria, e a Cláudia nos mostrou um vídeo que a explica de um jeito bem fofo e conciso!

Minha aula favorita foi a quarta, sobre personagens femininas em histórias de fantasia. Nele, aprendemos sobre os arquétipos femininos surgidos na mitologia grega, comentamos sobre como as personagens femininas dos contos de fadas foram transformadas em homens quando esses contos foram registrados, e estudamos três filmes com protagonistas mulheres: A viagem de Chihiro, O labirinto do fauno e Alice no País das Maravilhas (do Tim Burton). Para mim foi uma delícia rever A viagem de Chihiro, e mais legal ainda foi observar as peculiaridades da jornada vivida pelas heroínas, bem mais intimista do que a dos heróis.

E a última aula, sobre filmes atuais, falou de várias produções muito legais, como The Princess Bride, Shrek e um dos meus favoritos da infância, Labirinto: a magia do tempo. Gostei em especial da análise feita sobre Shrek, em que a professora mostrou como esse filme brinca com a fantasia – um bom sinal da solidez do gênero, que já se estabeleceu – e como é representativo dos nossos tempos e dialoga especialmente com o espectador do século XXI, por ressaltar a busca e a conquista da identidade. (Em algum momento, ela mencionou que Harry Potter é também inovador nesse sentido, pois seria a primeira fantasia especialmente feita para a nossa época. Mas o assunto não foi aprofundado porque “poderia render um curso inteiro”. Aguardamos ansiosamente por esse curso!)

IMG-20150402-WA0001

Na foto não dá pra ver, mas os slides eram lindos!

Ao longo de cada aula, também recebemos várias dicas de leituras interessantes e mais filmes bons, além de muitas curiosidades, como o curioso caso das Fadas de Cottingley. Também assistimos a alguns curtas excelentes, dentre os quais o primeiro filme de fantasia da história (O reino das fadas, de George Meliès, de 1903) e uma adaptação de O Hobbit que eu não conseguiria não compartilhar com vocês (e que, não canso de dizer, é melhor do que as versões do Peter Jackson).

O mais gostoso do curso, para mim, foi dedicar um tempo para falar e refletir sobre esse tema tão legal, e ao mesmo tempo tentar vê-lo com outros olhos, enxergando sua estrutura e a forma como ele se relaciona com o pensamento humano e com o contexto em que cada obra surgiu. E como é um assunto que nunca se esgota, a vontade que ficou foi de que o curso fosse mais longo.

Adorei as aulas e recomendo fortemente. Se você se interessa pelo assunto, fique de olho no calendário do MIS (que também tem outros cursos legais, aliás). Quem sabe eles não promovem este de novo!

Fantasia, fantasia, vamos falar de fantasia!

Fantasia, fantasia, vamos falar de fantasia!

Anúncios

8 respostas em “[Especial] Curso – Fantasia em Imagem

  1. Adorei! 🙂
    Muito obrigada, meninas! Que bom que gostaram – foi demais falar desse assunto com vocês! Espero mesmo que existam outras oportunidades pra gente continuar falando dele ❤ Foi uma honra, viu? 😀
    Beijão!

  2. Achei esse post e esse blog por acaso e agora estou extremamente chateada por ter perdido um curso desses! ;A; Parece ter sido incrível. Obrigada por compartilhar e vou mesmo ficar de olho na programação deles!

O que achou deste post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s