[Resenha] Mistborn: Secret History

Essa resenha foi baseada no e-book em inglês da Dragonsteel Entertainment e contém spoilers para TODOS os livros de Mistborn, incluindo Bands of Mourning. A tradução de trechos foi feita por mim.

secretcapaSinopse:

Mistborn: A Secret History se apoia na caracterização, eventos e construção de mundo da trilogia original. Lê-la sem esse pano de fundo vai ser um processo confuso, na melhor das hipóteses.

Dizer mais qualquer coisa aqui arrisca revelar demais. Mesmo o conhecimento da existência dessa história é, de certo modo, um spoiler.

Há sempre outro segredo.

Fonte: Kobo

Diga o que quiser sobre Brandon Sanderson, mas ninguém nunca fez o que ele está fazendo na fantasia épica atualmente. Perdoem o momento tietagem, mas é que essa novela – cujo título já é suficiente pra deixar qualquer fã de Mistborn salivando – me lembrou por que eu amo esse cara.

Se você não leu a trilogia Mistborn original, feche já esta página. E se ainda não leu os livros da era 2 – que começam com The Alloy of Law –, recomendo que fuja também. Acredite, são muito bons e vale a pena ler o mais recente, Bands of Mourning, e ter a surpresa da sua vida, antes de pegar esta Secret History.

Avisados? Procedam com sabedoria.

spoilerstoy

É CLARO QUE KELSIER NÃO IRIA CALMAMENTE PARA A MORTE.

Secret History é uma novela de 150 páginas que começa com a morte do amado personagem, que, sendo o homem mais teimoso em todo Scadrial, recusa-se a ir para a luz. Após uma discussão básica com Deus (na verdade, Preservação), Kelsier consegue permanecer num plano intermediário, chamado Plano Cognitivo, preso próximo ao Poço da Ascenção. A novela conta o que ele andou fazendo durante o resto dos livros de Mistborn, revelando sua participação nos eventos que se seguem à morte do Lord Ruler até o fim da trilogia – e um pouco além.

Em meio a conversas com Preservação, lutas com Ruína e – claro – encontros com Hoid, Kelsier aprende fatos importantes sobre a cosmere que explodem sua cabeça, mais ou menos como Brandon explode a do leitor a cada livro. Embora as Shards sejam mais ou menos conhecidas pelos fãs de Sanderson (especialmente os que já leram Stormlight Archive), o autor menciona algumas novas pela primeira vez em um texto oficial (e não em conversas com fãs) e resume bem didaticamente os preceitos da cosmere e o que são as Shards.

Kelsier é apenas ótimo. Não há como não admirar sua persistência diante de chances mínimas, mesmo que fundada em grande parte em um desejo de se superar e se provar melhor que a competição (mesmo que a competição seja divina!). Ele reconhece sua ignorância e busca ampliar seus conhecimentos, tornando-se mais sábio ao mesmo tempo que mantém aquela personalidade irreverente que conhecemos e amamos. Dá apelidos para um deus, engana outro e muda o destino de todo um planeta. Além de interagir com vários personagens dos seus livros (embora eu tenha lido a trilogia inicial há alguns anos, fiquei bem emocionada ao reencontrá-los!), conhece uma personagem que aparece muito brevemente na era 2 (o que eu só percebi procurando-a na Coppermind, admito – mas foi uma descoberta bem legal!).

Em suma, é uma novela imperdível pra fãs de Mistborn – como o próprio Brandon diz, completa lacunas deixadas em O herói das eras. E tudo indica que Kelsier terá um papel maior nos próximos livros de Mistborn, então não deixe de lê-la quando puder.

E lembre-se:

sandersonmindblwon

*

Mistborn: Secret History (e-book)
Série: Mistborn (vol. 3,5)
Autor: Brandon Sanderson
Editora: Dragonsteel Entertainment
Ano de publicação: 2016
153 páginas

 

Citações preferidas

“Ah, inferno,” Kelsier disse. “Existe um Deus mesmo?”

“Sim.”

Kelsier lhe deu um soco.

*

O que ele vira o perturbara tanto que quase não retornou. Quase se convenceu a ignorar a coisa terrível na escuridão. Quase bloqueou os sussurros e tentou fingir que nunca havia visto aquela força destruidora vasta e espantosa.

Mas é claro que não podia fazer isso. Kelsier nunca fora capaz de resistir a um segredo.

*

“As Shards,” Khriss disse, atraindo a atenção de Kelsier, “não são Deus, mas são pedaços de Deus. […] Há dezesseis delas.”

“Dezesseis,” Kelsier disse. “Há mais catorze dessas por aí?”

“As outras estão em outros planetas.”

“Outros…” Kelsier piscou. “Outros planetas.”

“Ah, veja só,” Nazh disse. “Você já o quebrou, Khriss.”

*

O roubo era a forma mais autêntica de lisonja.

O que podia ser mais satisfatório que saber que as coisas que você possuía eram intrigantes, cativantes ou valiosas o bastante para provocar outro homem a arriscar tudo para possui-las? Esse era o propósito de Kelsier na vida: lembrar as pessoas do valor das coisas que elas amavam. Roubando-as.

*

“Ideias nunca são originais,” Kelsier disse. “Só uma coisa é.”

“E o que é isso?”

“Estilo,” Kelsier respondeu.

 

Anúncios

3 respostas em “[Resenha] Mistborn: Secret History

  1. Pingback: [Especial] Livros favoritos de 2016 | Sem Serifa

O que achou deste post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s