[Resenha] O Mar de Monstros

Esta resenha contém spoilers do primeiro livro da série Percy Jackson, O ladrão de raios.

mar-de-monstrosSinopse:

Nessa segunda aventura da série Percy Jackson e os olimpianos, Percy e seus amigos estão em busca do Velocino de Ouro, único artefato mágico capaz de proteger da destruição seu lugar predileto e, até então, o mais seguro do mundo: o Acampamento Meio-Sangue.

Fonte: Intrínseca

Depois de esfregar umas verdades na cara de Zeus e comprar treta com ninguém menos do que Cronos, era de se imaginar que Percy Jackson sossegasse e agisse como um semideus normal, né? Bom, mais ou menos. Dispensando toda aquela introdução ao mundo moderno dos deuses gregos, o segundo livro da série já começa com treta. Desta vez o chamado à aventura chega muito mais rápido, quando Percy é salvo de uma briga escolar contra monstros (quem nunca?) e levado às pressas para o Acampamento Meio-Sangue, onde a árvore de Thalia – que protege o local contra monstros – foi envenenada e está lentamente morrendo. A direção precisava culpar alguém por isso, então Quíron está sendo afastado do cargo, o que claramente não vai ajudar ninguém, mas acontece mesmo assim.

Como sempre, os adultos responsáveis não fazem muito para resolver esse problema gigante, e Percy também tenta não se envolver – ele já tem problemas demais desde que sua melhor amiga Annabeth parou de falar com ele e seu novo amigo Tyson começou a abalar sua popularidade. Mas ele precisa tomar uma atitude quando descobre que o envenenamento da árvore está relacionado ao desaparecimento de Grover. O sátiro saiu em uma missão para encontrar Pan, mas parece ter caído em uma armadilha – e começou a mandar mensagens telepáticas pedindo ajuda a Percy. Este decide partir numa missão para ajudar o amigo, e para isso terá que atravessar o temível Mar de Monstros nas Bermudas. E desta vez, partirá sem a autorização dos deuses ou de profecias.

Em O Mar de Monstros, mais uma vez, Riordan faz o leitor mergulhar em referências à mitologia grega – algumas mais obscuras que outras –, enquanto lapida o crescimento de seu herói adolescente. Percy vai ganhar novos poderes, questionar o amor de seu pai e, é claro, enfrentar muitos monstros e entidades nervosinhas, em uma aventura com ritmo tão acelerado quanto a anterior.

A principal diferença entre este livro e o anterior é que os personagens estão claramente mais maduros. Apesar de Annabeth ter umas briguinhas bestas com Percy e de ele sofrer com o que seus colegas de acampamento pensam deles, fica bem claro que os dois cresceram. Annabeth enfrentará grandes provações na viagem para salvar Grover – uma jornada que é dela tanto quanto de Percy –, e eles finalmente vão parar de discutir pelo simples fato de serem de gêneros diferentes. Percy parece começar a dar o respeito que sua amiga merece e, juntos, eles formam um excelente time.

megs.gif

Outra qualidade de O Mar de Monstros é subverter os estereótipos que caracterizavam alguns personagens. Falo de Clarisse, a filha de Ares que é o Draco Malfoy da história – uma bully briguenta que não suporta Percy e seus amigos, mas que não é a verdadeira antagonista. Ela tem um papel bem importante nesse livro e acaba até roubando um pouco do protagonismo de Percy, o que foi surpreendente.

O que não surpreende são, mais uma vez, os paralelos com Harry Potter – que não atrapalham a leitura nem tiram o mérito desta série, mas que eu vou listar mesmo assim porque eu não aguento:

  • a escola está sendo ameaçada e um professor querido é acusado e culpado injustamente;
  • esse professor é substituído por um charlatão, que começa a perseguir o protagonista sem nenhum motivo aparente;
  • o protagonista descobre ser o assunto de uma misteriosa profecia, sobre a qual o seu querido tutor não lhe contou, para tentar protegê-lo;
  • o protagonista só sobrevive à história toda porque sua melhor amiga é inteligente pra caramba.

hadess.gif

É claro que nem eu nem Hades ficamos realmente irritados com esses paralelos – Percy Jackson continua sendo uma respeitável série de fantasia infantojuvenil, que, apesar dessas conhecidas estruturas, consegue surpreender e cativar o leitor. E o final de O Mar de Monstros deixa um baita gancho para o próximo volume, que já estou mega curiosa para ler.

*

O mar de monstros
Série Percy Jackson e os Olimpianos (livro 2 de 5)
Autor: Rick Riordan
Tradutor: Ricardo Gouveia
Editora: Intrínseca
Ano de publicação: 2006
304 páginas

Anúncios

O que achou deste post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s