[Resenha] O prisioneiro do céu

Esta resenha contém spoilers dos outros livros da série, A sombra do vento e O jogo do anjo.

prisioneiro

Sinopse:

Barcelona, 1957. Daniel Sempere e seu amigo Fermín estão de volta à aventura para enfrentar o maior desafio de suas vidas. Já se passa um ano do casamento de Daniel e Bea. Eles agora têm um filho, Julián, e vivem com o pai de Daniel em um apartamento em cima da livraria Sempere e Filhos. Fermín ainda trabalha com eles e está ocupado com os preparativos para seu casamento com Bernarda no ano-novo. No entanto, algo parece incomodá-lo profundamente. Quando tudo começava a dar certo para eles, um personagem inquietante visita a livraria de Sempere em uma manhã em que Daniel está sozinho na loja. Esta visita é apenas o ponto de partida de uma história de aprisionamento, traição e do retorno de um adversário mortal. Daniel e Fermín terão que compreender o que ocorre diante da ameaça da revelação de um terrível segredo que permanecia enterrado há duas décadas no fundo da memória da cidade.

Fonte: Livraria Cultura

Quando o terceiro volume de “O cemitério dos livros esquecidos” chegou em casa, tomei um susto. O livro tem apenas 246 páginas, quase a metade dos anteriores. Já sofrendo de abstinência, mergulhei na terceira aventura da série, que retoma os passos de Daniel Sempere e Fermín Romero de Torres em uma trama que une os dois primeiros livros da série, trazendo à tona a figura torturada (e sempre presente nas tretas mais intensas) de David Martín.

A história começa um ano depois de A sombra do vento e, apesar de ainda ser narrada por Daniel, está focada, em grande parte, no misterioso passado de Fermín. Este, que está prestes a se casar, vê ressurgir um homem do seu passado, e relata alguns de seus segredos a Daniel. Não darei spoilers, mas basta dizer que suas histórias aproximam a série ainda mais das tramas rocambolescas de Alexandre Dumas – sempre divertido – e revelam conexões com outras partes bem surpreendentes da série.

No entanto, é um livro diferente dos outros dois no sentido de não ser fechado: as poucas páginas (nem deu pra sentir o gostinho, fala sério, Zafón) parecem o primeiro ato de uma história. Não acontece muita coisa; as investigações (sobre o estranho que aparece atrás de Fermín, entre outras relacionadas ao passado deste e a um novo antagonista) ficam um tanto soltas na trama, e apenas nos instigam com novos mistérios e prenunciam um bombástico quarto livro.

Apesar da falta de foco, virei as páginas com tanto entusiasmo quanto nos outros volumes e continuei me deliciando com a prosa e os diálogos de Zafón, que pela terceira vez inventou um antagonista desprezível (Mauricio Valls, que entra pro hall de cretinos dessa série). As aventuras de Fermín são também marcadas por tensão, perigo e a tristeza dos anos da guerra, embora o personagem sempre dê um jeito de tornar qualquer história bem-humorada.

Isabella Sempere também marca presença, e toda vez que é mencionada fico chateada porque não está presente nas histórias de Daniel. [SPOILERS] Além disso, este livro me deixou me remoendo de ódio com a verdade sobre sua morte; e tenho que dizer que, em qualquer outro autor, eu não perdoaria a morte de uma ótima personagem feminina para avançar a trama e criar o desejo de vingança nos protagonistas masculinos. No entanto, aguardo com esperança a possibilidade de que vejamos no futuro a fala “Meu nome é Daniel Sempere. Você matou minha mãe. Prepare-se para morrer”, a la Inigo Montoya. Também achei lindo o modo como O jogo do anjo, transformado em um livro deixado por Martín para Daniel, se torna parte da história. [FIM DOS SPOILERS]

Embora os livros possam teoricamente ser lidos em qualquer ordem, recomendo ler pelo menos A sombra do vento antes de embarcar neste – e fico feliz de ter lido os volumes na ordem de publicação, pois o momento em que as histórias se conectam tornou-se muito mais significativo (embora tenha me causado várias dúvidas quanto à cronologia dos eventos do de O jogo do anjo).

E o melhor de tudo: depois de anos sem notícias, foi anunciado que o quarto e último livro da série vai ser publicado em novembro deste ano. Olha que momento propício para entrar no universo do Cemitério dos Livros Esquecidos!

*

O prisioneiro do céu
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Tradutora: Eliana Aguiar
Editora: Suma de Letras
Data de publicação: 2011
246 páginas

 

Citações preferidas

– Prefiro quando você expressa uma visão mais humanista e positiva das coisas, Fermín. Como no outro dia, quando disse que no fundo ninguém é mau, apenas tem medo.

– Deve ter sido uma queda de açúcar no sangue. Uma completa bobagem.

*

Os jornais, como sempre, escondiam a verdade como se sua vida dependesse disso, e talvez com razão.

*

Há épocas e lugares em que ser ninguém é muito mais digno do que ser alguém.

*

Enquanto tomava a sopa ruidosamente e engolia os pedaços de pão, Fermín ia passeando os olhos pela sala de jantar. A seu lado, uma cristaleira exibia uma coleção de pratos e jarras, vários santos e o que parecia ser um modesto faqueiro de prata.

– Eu também li Os miseráveis, de modo que nem pense nisso – avisou o padre.

5 respostas em “[Resenha] O prisioneiro do céu

  1. Êeee estava aguardando esta resenha! ❤ Eu realmente preciso reler a coleção antes do novo livro chegar (aliás, FINALMENTE! \o/), tem muita coisa que não me lembro mais. Mas sobre isso: "Também achei lindo o modo como O jogo do anjo, transformado em um livro deixado por Martín para Daniel, se torna parte da história". = Achei sensacional! É por isso que quero ler em ordem diferente desta vez!

    Beijo (e aguardemos o novo do Zafón <3),
    Brenda

  2. Nossa, eu terminei de reler hoje,porque eu descobri sobre o livro novo e já fiz o aquecimento para relembrar os acontecimentos, haha
    E pela segunda vez lendo o livro, me vem a mesma dúvida: [SPOILER] Daniel é um Sempere ou um Martin?? Eu sinceramente , não consigo tirar da cabeça que o David é o pai do Daniel, até porque sempre ficou bem implícito que a Isabella era apaixonada pelo David,e acho que o sentimento acabou se tornando mútuo durante O Jogo do Anjo..[FIM DO SPOILER]
    Mas acho que essas perguntas serão respondidas no próximo livro, que estarei aguardando ansiosamente!

  3. Pingback: [Especial] Livros favoritos de 2016 | Sem Serifa

O que achou deste post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s