[Resenha] Fantasma

fantasmaSinopse:

Correr é algo que Fantasma sempre fez, mas nunca levou muito a sério. Seu lance mesmo era o basquete. Até que, um dia, ele disputa uma corrida contra um dos melhores atletas que está treinando na pista do parque. E vence. O treinador fica impressionado e quer que aquele menino entre para sua equipe de qualquer jeito. Fantasma tem talento de sobra, mas também muita raiva e um passado que tenta desesperadamente deixar para trás. Um passado que exerce sobre ele uma força destrutiva que pode impedi-lo de dominar seu dom e achar seu verdadeiro lugar no mundo.

Fonte: Intrínseca

Fantasma é um adolescente que passa por muitos problemas. Seu pai está na prisão enquanto ele e a mãe, traumatizados pelas coisas que ele fez, tentam reconstruir sua vida baseada em uma renda familiar baixíssima e um dia a dia cheio de provocações e bullying. Cercado por tantos problemas, o garoto cresceu revoltado, comprando brigas na escola e sendo mandado com frequência para a diretoria. Esse comportamento precisa mudar quando o garoto conhece o treinador de uma equipe de corrida. O homem fica impressionado com o talento natural de Fantasma, mas a mãe só vai deixar o garoto treinar com a condição de que não arranje mais encrenca na escola.

Fantasma é um livro infantojuvenil sobre superação. Com um arco bem simples e cheio de clichês, ele conta uma história fofinha, mas com alguns problemas na narrativa.

Enquanto melhora suas habilidades e treina para uma grande competição de corrida, Fantasma conhece melhor os seus colegas de equipe e o treinador. Eles têm origens, etnias e formações familiares diferentes, mas têm em comum o fato de que encontraram no esporte uma forma de lidar com seus problemas. Algumas dessas motivações são surpreendentes, e revelam como todas as pessoas têm uma história humana e sensível.

Apesar desse potencial, os personagens não são bem construídos. A maioria deles poderia ser muito interessante e quebrar estereótipos, mas eles acabam não sendo muito aprofundados. A relação entre Fantasma e seus colegas de corrida vai de “se provocam sem qualquer motivo aparente” para “são como uma família” de forma bastante repentina, e o leitor não tem tempo de desenvolver simpatia por eles. O protagonista às vezes é um pouco insosso e inocente demais para a sua idade (e para os traumas pelos quais já passou), embora sua narrativa em primeira pessoa nos aproxime um pouco dele e permita poucos momentos de empatia.

O nome real de Fantasma é Castle, o que é um dos motivos para que ele sofra bullying. Porém, o apelido, que o próprio garoto criou, fica um tanto jogado no livro. É usado raramente, e na maioria das vezes desencadeia algum diálogo ou reflexão sobre o próprio apelido. A explicação para esse apelido é fraca, e a minha sensação foi de que o autor estava tentando forçar um elemento nada necessário.

Fantasma é o primeiro volume de uma série e não pode ser lido sozinho. A história desse volume fica sem fim, e os próximos livros ainda não foram publicados.

*

Fantasma
Autor: Jason Reynolds
Tradutora: Regiane Winarski
Editora: Intrínseca
Ano desta edição: 2017
208 páginas

Exemplar cedido em parceria com a Intrínseca.

O que achou deste post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s