[Resenha] Skyward: conquiste as estrelas

skywardSinopse:

Derrotada, devastada e levada quase à extinção, a raça humana se vê presa em um planeta distante, constantemente atacado por misteriosos combatentes alienígenas. A jovem Spensa anseia por se tornar piloto e se juntar à resistência. Quando descobre os restos de uma velha nave, de um modelo que nunca tinha visto na vida, ela percebe que seu sonho pode enfim se tornar realidade.

Fonte: Minotauro

Não deveria ser surpresa nenhuma o fato de que o primeiro livro que li este ano, um lançamento de Brandon Sanderson, é completamente incrível e viciante e causou aquela sensação de não querer que o livro acabe, mas também não querer largá-lo nunca.

Skyward é um YA de aventura espacial narrado por Spensa, uma garota de 18 anos que vive no planeta Detritus. Seu sonho é se tornar piloto de caça estelar e, assim como seu pai, lutar na guerra contra os misteriosos Krell, uma raça alienígena que tenta exterminar a humanidade. Apaixonada por histórias de antigos guerreiros e disposta a morrer em batalha como eles, ao longo do livro Spensa vai aprendendo muito sobre guerra, lealdade e coragem.

Esse é um livro cheio de naves velozes, ameaças mortais e batalhas entre caças – então recomendo fortemente aos fãs de Star Wars! As cenas de ação são de tirar o fôlego, mas sempre trazem uma forte carga emocional e momentos que impactam todos os personagens, tornando a guerra deles bem mais realista.

Aliás, é fascinante como essa narrativa cheia de aventura, batalhas espaciais e cenas de ação evolui para uma história sobre autoconhecimento e sobre questionar os próprios paradigmas. Spensa precisa encarar não apenas a guerra, como desafios pessoais – preconceitos e histórias do passado tornam sua família mal vista em toda a sociedade, e fecham muitas portas que a garota precisa aprender a abrir. De quebra, o autor aproveita para falar sobre meritocracia e questiona sistemas políticos e militares.

O crescimento de Spensa é muito satisfatório e torna a protagonista cativante. E os outros personagens não ficam atrás. Para fazer um combo de comparações ousadas, vou também indicar esse livro para quem é fã de Harry Potter (!). Afinal, os coadjuvantes fazem com que você queira conviver com Spensa e seus amigos e aprender com eles em seus treinos e batalhas. Cada personagem tem seus próprios sonhos e percalços, e todos passam por um desenvolvimento gostoso de acompanhar – vamos aprendendo mais sobre eles pelos olhos de Spensa e suas trajetórias também contribuem para a evolução da garota.

O mundo de Skyward é intrigante. O planeta Detritus abriga o que restou da humanidade aniquilada, e seu povo tem acesso a tecnologias incríveis, a maioria delas herdada dos antigos e desconhecidos habitantes desse mundo. Os humanos agora vivem em cavernas subterrâneas para se proteger dos ataques dos Krell, e nem na superfície conseguem enxergar o céu, pois a atmosfera do planeta é poluída por uma densa camada de detritos em órbita. Todo esse cenário é curioso e, embora esse não seja o foco da história, a narrativa é permeada pela questão das origens desse mundo e de quem viveu ali antes dos humanos.

Skyward me fez rir, me tirou o fôlego e causou comoção em muitos momentos, além de me deixar acordada até tarde lendo ou procurando fanarts (em vão) na internet. A tradução da Minotauro tem alguns escorregões, mas nada que diminua o ritmo incessante da leitura – e vale a pena comprar a edição impressa para apreciar as ilustrações mostrando as naves espaciais e seus esquemas de manobras.

Comentários irrelevantes e COM SPOILERS:

  • Ironsides não precisava ser tão má. Às vezes ela só age com requintes de crueldade, como quando rouba o broche do pai de Spensa. Poxa.
  • M-Bot é divertidíssimo; eu não gostava tanto de uma nave desde Justiça ancilar.
  • Kimmalyn também é incrível, e eu espero MUITO ver mais do crescimento dela nos próximos livros. Aliás, gosto muito de como vemos personagens desistindo e mudando de rumos ao longo dessa história, e do fato de que os caminhos escolhidos por eles não os tornam inferiores, ao contrário do que sua sociedade prega.
  • Eu queria pessoalmente entregar uma medalha a Cobb todos os dias da vida dele.
  • Eternamente chateada que a edição em português não tenha traduzido o nome de Doomslug para Lesmortal ou qualquer outro trocadilho.

FIM DOS SPOILERS, mas fim da resenha também.

*

Skyward: conquiste as estrelas
Autor: Brandon Sanderson
Tradutora: Márcia Blasques
Editora: Minotauro
Ano de publicação: 2018
400 páginas

 

Citações favoritas:

As crianças que zombam de você estão presas nessa rocha. Suas cabeças são cabeças de rocha, seus corações estão debaixo de pedra. Concentre-se em algo maior. Em algo grandioso.

*

As pessoas precisam de histórias, filha. Elas nos trazem esperança, e essa esperança é real. Se esse é o caso, então o que importa se as pessoas das histórias realmente existiram?

*

O som mais maravilhoso de todos é o lamento dos meus inimigos gritando meu nome para os céus, com vozes agitadas e agonizantes.

2 respostas em “[Resenha] Skyward: conquiste as estrelas

  1. Venho desenvolvendo um interesse crescente nesse autor, muito provavelmente por causa de um certo blog aí que eu acompanho XD, ainda que tenha lido muito pouco dele até agora. O Brandon escreve como o que imagino ser jogar bola com o Ronaldinho Gaúcho: cinco minutos de jogo, dezenas de dibres por capítulo e de repente você se pergunta “o que que tá pegano?” enquanto leva um chapéu olhando pro lado errado porque ele usou aquela técnica marota da cutucadinha no ombro e te deixou com a maior cara de otário. Ele consegue te apresentar e construir o mundo com cenas de fuckin’ AÇÃO, sem os famigerados info dumps com paragrafões de explicação pessimamente disfarçados que tratam e gente que nem retardado.

    E o que é pior: ele não escreve só com qualidade mas em quantidade também, o que eleva o padrão de escrita a níveis de rendimento impraticáveis no nicho da fantasia (NÃO TO PENSANDO EM NINGUÉM ESPECÍFICO QUANDO ESCREVO ISSO – EM NENHUM DOS DOIS). Cinco minutos no Google por curiosidade e até onde pesquisei ele já tinha avisado que tem um rascunho completo da sequência desse livro, antes da publicação oficial do próprio Skyward! OLHA ESSE DESGRAÇADO!

    …Terminado o desabafo, fica só o agradecimento e os parabéns pela resenha. Acompanho sempre o blog (embora nem sempre comente) e garanto que o trabalho de vocês já influenciou bastante nas minhas leituras. Inclusive vou adiantar as sequências do Steelheart na minha pilha de leituras depois desse post! Valeu e bom 2019 pra vocês!

    • Rapaz, a única coisa decepcionante no Brandon Sanderson é que a gente não consegue ler na velocidade que ele escreve! Os YA dele são incríveis; eu tô amando Skyward tanto quanto amei a série Executores, e já ansiosa pela data de lançamento desse volume 2.

      Depois conta pra gente o que achou dos livros! Passa mais por aqui pra deixar seus comentários. 😀 Ficamos muito felizes ao saber que você curte as resenhas e aproveita as nossas indicações.

      Um ótimo 2019 pra você!

O que achou deste post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s