Um milhão de finais felizes

ummilhaoSinopse:

Jonas não sabe muito bem o que fazer da vida. Entre suas leituras e ideias para livros anotadas em um caderninho de bolso, ele precisa dar conta de seus turnos no Rocket Café e ainda lidar com o conservadorismo de seus pais. Sua mãe alimenta a esperança de que ele volte a frequentar a igreja, e seu pai não faz muito por ele além de trazer problemas.

Mas é quando conhece Arthur, um belo garoto de barba ruiva, que Jonas passa a questionar por quanto tempo conseguirá viver sob as expectativas de seus pais, fingindo ser uma pessoa diferente de quem é de verdade. Buscando conforto em seus amigos (e na sua história sobre dois piratas bonitões que se parecem muito com ele e Arthur), Jonas entenderá o verdadeiro significado de família e amizade, e descobrirá o poder de uma boa história.

Fonte: Globo Livros

Continuar lendo

[Resenha] Graça e Fúria

2018gracaSinopse:

Em Viridia, as mulheres não têm direitos. Em vez de rainhas, os governantes escolhem periodicamente três graças — jovens que viveriam ao seu dispor. Serina Tessaro treinou a vida inteira para se tornar uma graça, mas é Nomi, sua irmã mais nova, quem acaba sendo escolhida pelo herdeiro. Nomi nunca aceitou as regras que lhe eram impostas e aprendeu a ler, apesar de a leitura ser proibida para as mulheres. Seu fascínio por livros a levou a roubar um exemplar da biblioteca real — mas é Serina quem acaba sendo pega com ele nas mãos.

Agora, Serina e Nomi estão presas a destinos que nunca desejaram — e farão de tudo para se reencontrar.

Fonte: Seguinte

Continuar lendo

[Com Opinião] Flipop e o preconceito com a literatura YA

WhatsApp Image 2018-06-30 at 08.33.55

Este fim de semana, estive na 2ª Flipop – Festival de Literatura Pop, organizado pela Editora Seguinte. Foram três dias de bate-papos com escritores, tradutores, estudiosos, editores e blogueiros, sobre diversos temas relacionados à literatura Young Adult.

A programação (que envolvia pautas sobre representatividade LGBT, literatura com temas fortes e vozes de escritores brasileiros) já indicava que tanto os bate-papos como as conversas no saguão do evento estariam repletos de gente preocupada com pautas políticas e sociais, diversidade e saúde mental.

São raros os eventos literários com tamanha preocupação com esses temas, e que saibam tratá-los de forma respeitosa. Mas não surpreende que tenha sido assim, pois o YA é um gênero que se preocupa com tudo isso, e que traz essas pautas para seus leitores; o que me faz ficar incomodada ao escutar que tem gente que se recusa a ler livros voltados para jovens.

 

Continuar lendo

[Lista] Livros YA com temas importantíssimos

A literatura Young Adult ainda é subestimada. É relegada apenas a leitores em formação, e muitas vezes vista como um degrau que precisa levar à leitura de clássicos e de “alta literatura”, mesmo que muitos adultos já reconheçam o valor desses livros e o público adolescente se prove cada vez mais criterioso. Nos últimos 20 anos, o gênero se desenvolveu (não apenas em aspectos literários como também mercadológicos) e as editoras abriram espaço para obras voltadas para adolescentes.

Essas obras não são apenas relevantes, como também inovadoras. Diante de um público leitor cada vez mais exigente, os autores de livros YA têm ousado abordar muitos temas social e politicamente importantes – e nem é preciso dizer que não são temas que interessam apenas a adolescentes.

Separamos algumas indicações de livros dentro de diversas pautas sociais importantes para quem quer dar uma chance ao YA e entender por que esse gênero é cada vez mais relevante.

Continuar lendo

[Resenha] Um de nós está mentindo

Esta resenha foi escrita pelo nosso amigo e padawan Renato Ritto, que já estudou Letras, mas estuda Editoração na ECA-USP.

um-de-nósSinopse:

Cinco alunos entram em detenção na escola e apenas quatro saem com vida. Todos são suspeitos e cada um tem algo a esconder.
Numa tarde de segunda-feira, cinco estudantes do colégio Bayview entram na sala de detenção: Bronwyn, a gênia, comprometida a estudar em Yale, nunca quebra as regras.
Addy, a bela, a perfeita definição da princesa do baile de primavera.
Nate, o criminoso, já em liberdade condicional por tráfico de drogas.
Cooper, o atleta, astro do time de beisebol.
E Simon, o pária, criador do mais famoso app de fofocas da escola.
Só que Simon não consegue ir embora. Antes do fim da detenção, ele está morto. E, de acordo com os investigadores, a sua morte não foi acidental. Na segunda, ele morreu. Mas na terça, planejava postar fofocas bem quentes sobre os companheiros de detenção. O que faz os quatro serem suspeitos do seu assassinato. Ou são eles as vítimas perfeitas de um assassino que continua à solta?
Todo mundo tem segredos, certo? O que realmente importa é até onde você iria para proteger os seus.

Fonte: Galera Record

Continuar lendo

[Semana Tartarugas até lá embaixo] Os livros de John Green

john-green

John Green é um dos mais famosos autores de ficção YA. Seu best-seller A culpa é das estrelas passou um ano na lista de mais vendidos no Brasil, e vendeu milhões de exemplares no mundo todo, sendo adaptado para o cinema em 2014. A obra de Green é conhecida por retratar personagens adolescentes palpáveis e realistas, com dramas pessoais bem peculiares. O autor jamais infantiliza seu público, e sabe tratar de assuntos como morte, suicídio, sexualidade e transtornos mentais, geralmente te fazendo derrubar algumas lágrimas em algum momento.

Além de escrever, Green também é famoso pelo canal Vlogbrothers, projeto que ele comanda ao lado de seu irmão Hank há mais de dez anos. Eles falam de assuntos variados, desde My Little Pony até política internacional, além de engajar jovens em projetos legais que arrecadam dinheiro para caridade. A comunidade de fãs do canal (e dos irmãos Green), chamada de Nerdfighters, reúne grupos internacionais para falar de nerdices e também para se engajar em causas legais.

Listei aqui alguns livros do autor que eu li e amei, e provavelmente vou ler os que faltam enquanto espero o primeiro livro de seu irmão, Hank Green (que também é um amorzinho).

Continuar lendo

[Resenha] Tartarugas até lá embaixo

tartarugasSinopse:

Aza Holmes, uma menina de 16 anos, sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Neste livro arrebatador e sensível sobre amor, resiliência e o poder de uma amizade duradoura, John Green conta a tocante história de Aza, lembrando que a vida sempre continua e que muitas surpresas nos aguardam pelo caminho.

Fonte: Intrínseca

Continuar lendo

[Resenha] Estamos bem

estamos-bemSinopse:

Você passa pela vida achando que precisa de tanta coisa…
Até ir embora só com o celular, a carteira e uma foto da sua mãe.
Marin não fala com ninguém da vida antiga desde o dia em que deixou tudo para trás. Ninguém sabe a verdade sobre as semanas finais. Nem mesmo sua melhor amiga, Mabel. Mas mesmo a milhares de quilômetros da costa da Califórnia, na faculdade em Nova York, Marin ainda sente o impacto da vida e da tragédia da qual tentou fugir. Agora, meses depois, sozinha em um alojamento vazio durante as férias de inverno, Marin espera. Mabel está chegando para visitá-la, e Marin vai ser obrigada a enfrentar tudo que não foi dito e a finalmente confrontar a solidão que se alojou em seu coração.

Fonte: Plataforma 21

Continuar lendo

[Resenha] O ceifador

o-ceifadorSinopse:

A humanidade venceu a morte e todos podem rejuvenescer quantas vezes quiserem. Para controlar o excesso populacional, os ceifadores têm uma única tarefa: matar. A vida de Citra e Rowan, dois adolescentes de dezesseis anos, muda por completo quando se tornam aprendizes do ceifador Faraday – ao final do treinamento, só um deles será escolhido, e o outro, a sua primeira vítima.

Fonte: Seguinte

Continuar lendo

[Resenha] Ninguém nasce herói

ninguemSinopse:

Num futuro em que o Brasil é liderado por um fundamentalista religioso, o Escolhido, o simples ato de distribuir livros na rua é visto como rebeldia. Esse foi o jeito que Chuvisco encontrou para resistir e tentar mudar a sua realidade, um pouquinho que seja: ele e os amigos entregam exemplares proibidos pelo governo a quem passa pela praça Roosevelt, no centro de São Paulo, sempre atentos para o caso de algum policial aparecer. Outro perigo que precisam enfrentar enquanto tentam viver sua juventude são as milícias urbanas, como a Guarda Branca: seus integrantes perseguem diversas minorias, incentivados pelo governo. É esse grupo que Chuvisco encontra espancando um garoto nos arredores da rua Augusta. A situação obriga o jovem a agir como um verdadeiro super-herói para tentar ajudá-lo ‒ e esse é só o começo. Aos poucos, Chuvisco percebe que terá de fazer mais do que apenas distribuir livros se quiser mudar seu futuro e o do país.

Fonte: Seguinte

Continuar lendo