[Resenha] Adeus tristeza

adeustristezaSinopse:

Seguindo os passos das grandes narrativas autobiográficas, como Maus, de Art Spiegelman, e Persépolis, de Marjane Satrapi, Belle Yang escolheu os quadrinhos para narrar a tumultuada saga de sua família.
A partir das disputas e dos embates entre o patriarca dos Yang e seus filhos, a autora pôde revisitar cem anos de história chinesa. O enfoque na intimidade da família ganha contornos épicos, conforme os Yang vivenciam a invasão da Manchúria pelos japoneses, a Segunda Guerra Mundial, a grande fome e a subida dos comunistas ao poder.

Fonte: Quadrinhos na Cia.

Continuar lendo