[Resenha] Céu sem estrelas

ceusemSinopse:

Cecília acabou de completar dezoito anos, mas sua vida está longe de entrar nos trilhos. Depois de perder seu primeiro emprego e de ter uma briga terrível com a mãe, a garota decide ir passar uns tempos na casa da melhor amiga, Iasmin. Lá, se aproxima de Bernardo, o irmão mais velho de Iasmin, e logo os dois começam um relacionamento.

Apesar de estar encantado por Cecília, Bernardo esconde seus próprios traumas e ressentimentos, e terá de descobrir se finalmente está pronto para se comprometer. Cecília, por sua vez, precisará lidar com uma série de inseguranças em relação ao corpo — e com a instabilidade de sua própria mente.

Fonte: Seguinte

Continuar lendo

[Resenha] Um milhão de finais felizes

ummilhaoSinopse:

Jonas não sabe muito bem o que fazer da vida. Entre suas leituras e ideias para livros anotadas em um caderninho de bolso, ele precisa dar conta de seus turnos no Rocket Café e ainda lidar com o conservadorismo de seus pais. Sua mãe alimenta a esperança de que ele volte a frequentar a igreja, e seu pai não faz muito por ele além de trazer problemas.

Mas é quando conhece Arthur, um belo garoto de barba ruiva, que Jonas passa a questionar por quanto tempo conseguirá viver sob as expectativas de seus pais, fingindo ser uma pessoa diferente de quem é de verdade. Buscando conforto em seus amigos (e na sua história sobre dois piratas bonitões que se parecem muito com ele e Arthur), Jonas entenderá o verdadeiro significado de família e amizade, e descobrirá o poder de uma boa história.

Fonte: Globo Livros

Continuar lendo

[Resenha] Black Hammer – Volume 1: Origens secretas

blackhammerSinopse:

Há dez anos eles salvaram Spiral City, mas foram exilados numa fazenda em uma pequena cidade-prisão suspensa no tempo. Forçados a levar uma vida pacata e despojados de sua identidade como heróis, Abraham Slam, Menina de Ouro, Coronel Weird, Madame Libélula e Barbalien tentam voltar para casa. Como eles foram parar ali? Por que não conseguem sair? E o que é esse lugar, afinal?

Fonte: Intrínseca

Continuar lendo

[Resenha] Graça e Fúria

2018gracaSinopse:

Em Viridia, as mulheres não têm direitos. Em vez de rainhas, os governantes escolhem periodicamente três graças — jovens que viveriam ao seu dispor. Serina Tessaro treinou a vida inteira para se tornar uma graça, mas é Nomi, sua irmã mais nova, quem acaba sendo escolhida pelo herdeiro. Nomi nunca aceitou as regras que lhe eram impostas e aprendeu a ler, apesar de a leitura ser proibida para as mulheres. Seu fascínio por livros a levou a roubar um exemplar da biblioteca real — mas é Serina quem acaba sendo pega com ele nas mãos.

Agora, Serina e Nomi estão presas a destinos que nunca desejaram — e farão de tudo para se reencontrar.

Fonte: Seguinte

Continuar lendo

[Resenha] Bernice corta o cabelo

bernice-corta.pngSinopse:

Tudo que podemos fazer pelas pessoas é alimentá-las, diverti-las ou chocá-las. Essa frase, atribuída a Oscar Wilde, dá a tônica desta história de F. Scott Fitzgerald, de 1920, mas ainda atual, pertinente e necessária. Pela trama de Bernice e sua prima Marjorie em uma disputa por popularidade, pertencimento social, status e atenção de garotos, o leitor acompanha as peculiaridades e sutilezas do universo adolescente em seu máximo estado de tensão, com suas descobertas e frustrações.

Fonte: Lote 42

Continuar lendo

[TAG] Copa do Mundo

copadomundo.png

Se a cada quatro anos, tudo é desculpa pra falar de futebol, o ano inteiro o Sem Serifa tem boas desculpas pra falar de livros. Fizemos nossa própria TAG de livros para esta Copa, misturando alguns itens de outras TAGs e criando alguns nossos. E você, quais são os seus livros para a Copa do Mundo?
Continuar lendo

[Com Opinião] Flipop e o preconceito com a literatura YA

WhatsApp Image 2018-06-30 at 08.33.55

Este fim de semana, estive na 2ª Flipop – Festival de Literatura Pop, organizado pela Editora Seguinte. Foram três dias de bate-papos com escritores, tradutores, estudiosos, editores e blogueiros, sobre diversos temas relacionados à literatura Young Adult.

A programação (que envolvia pautas sobre representatividade LGBT, literatura com temas fortes e vozes de escritores brasileiros) já indicava que tanto os bate-papos como as conversas no saguão do evento estariam repletos de gente preocupada com pautas políticas e sociais, diversidade e saúde mental.

São raros os eventos literários com tamanha preocupação com esses temas, e que saibam tratá-los de forma respeitosa. Mas não surpreende que tenha sido assim, pois o YA é um gênero que se preocupa com tudo isso, e que traz essas pautas para seus leitores; o que me faz ficar incomodada ao escutar que tem gente que se recusa a ler livros voltados para jovens.

 

Continuar lendo

[Vídeo] Utopias e distopias feministas

Um dos nossos gêneros favoritos da literatura é a ficção especulativa, e percebemos uma quantidade grande de utopias e distopias que falam sobre o papel da mulher na sociedade. Neste vídeo, indicamos vários livros ótimos com essa temática. Já leu algum deles? Conta pra gente, e aproveita pra dar suas indicações também!

[Resenha] LoveStar

lovestarSinopse:

LoveStar, o enigmático e obsessivo fundador das Corporações LoveStar, desvendou o segredo para transmitir informações em frequências emitidas por pássaros, finalmente libertando a humanidade de dispositivos e cabos, e permitindo que o consumismo, tecnologia e ciência tomem conta de todos os aspectos da vida diária.

Fonte: Morro Branco

Continuar lendo

[Resenha] Extraordinárias: mulheres que revolucionaram o Brasil

extraordinarias-capaSinopse: Dandara foi uma guerreira negra fundamental para o Quilombo dos Palmares. Bertha Lutz foi a maior representante do movimento sufragista no Brasil. Essas e muitas outras brasileiras impactaram a nossa história e, indiretamente, a nossa vida, mas raramente aparecem nos livros. Este volume, resultado de uma extensa pesquisa, chega para trazer o reconhecimento que elas merecem. Aqui, você vai encontrar perfis de revolucionárias de etnias e regiões variadas, que viveram desde o século XVI até a atualidade, e conhecer os retratos de cada uma delas, feitos por artistas brasileiras. O que todas essas mulheres têm em comum? A força extraordinária para lutar por seus ideais e transformar o Brasil.

Fonte: Editora Seguinte

Continuar lendo